Pesquisa e Desenvolvimento

O Instituto de Biologia Molecular do Paraná (IBMP) é inovador desde a sua gênese e registra importantes contribuições para a Saúde por meio do desenvolvimento de tecnologias como o módulo de amplificação do Kit NAT HIV/HVC/HBV e os testes moleculares para detecção de diferentes patógenos, já em fase de produção industrial.

O IBMP investe sua capacidade científica e tecnológica também no desenvolvimento de novos produtos, que buscam atender as demandas de saúde da população brasileira e nacionalizar os insumos utilizados no país. Atuando na área de fronteira da Biotecnologia, os pesquisadores e laboratórios do Instituto desenvolvem testes moleculares e biofármacos que em um futuro próximo estarão disponíveis no mercado brasileiro e poderão ser comercializados em escala global.

Conheça nossos projetos em desenvolvimento:

Diagnóstico para Septicemia

Síndrome de resposta inflamatória sistêmica decorrente de um processo infeccioso, causada principalmente pela invasão da corrente sanguínea por bactérias e fungos, a septicemia é a principal causa de morte em UTIs em todo o mundo – o que gera custos elevados para o sistema de saúde e para a sociedade. O IBMP trabalha no desenvolvimento de uma plataforma para diagnóstico molecular dos agentes etiológicos causadores da sepse, que contempla uma diversidade de marcadores presentes em grande parte dos patógenos responsáveis pela infecção. O objetivo é a rápida identificação desses agentes para orientar de forma eficaz o tratamento, utilizar os antibióticos mais adequados e reduzir a taxa de mortalidade, o tempo de internação e os altos custos envolvidos.

Diagnóstico Universal Multiplex

O projeto tem como foco o desenvolvimento de um método de diagnóstico rápido para identificação de 830 de patógenos de doenças infecciosas que não podem ser diagnosticadas por métodos convencionais. Isto cobre praticamente todos os patógenos, da atual literatura, causadores de doenças em humanos e permitirá verificar se o paciente sofre de uma infecção ou várias simultaneamente. O kit molecular – que utiliza a Reação em Cadeia da Polimerase (PCR, na sigla em inglês) – contém painéis de iniciadores que poderão ser usados em multiplex para o sequenciamento de pedaços do genoma e identificação de patógenos bacterianos, eucarióticos, virais e fungos em amostras clínicas, impedindo a sua disseminação.

Projeto Rede Cegonha

A partir de demanda do Ministério da Saúde, o IBMP desenvolve um kit diagnóstico para detecção de agentes infecciosos no monitoramento materno-infantil. A iniciativa consiste no desenvolvimento de um dispositivo para detecção e monitoramento de doenças relevantes em gestantes durante o acompanhamento pré-natal. A plataforma é multiteste, capaz de detectar diversas doenças com apenas uma amostra de sangue, incluindo Aids, hepatites B e C, rubéola, sífilis, doença de Chagas e toxoplasmose. O teste será disponibilizado em duas versões: um dispositivo para diagnóstico rápido no local de atendimento (point of care) e uma plataforma automatizada para centros de saúde que disponham de infraestrutura para analisar simultaneamente um grande número de amostras.

Medicina Personalizada para Diagnóstico e Tratamento de Câncer

O mapeamento genético de tumores cancerígenos é estratégico para o diagnóstico individualizado do paciente e a determinação do tratamento adequado o mais rápido possível. A partir de amostras de sangue ou de tumores cedidas pelo Instituto Nacional do Câncer José Alencar Gomes da Silva (INCA), do Hospital Erasto Gaertner e do A. C. Camargo Cancer Center, o IBMP vem desenvolvendo estudos para identificar as características moleculares de diferentes tipos de câncer, com especial interesse em genes que possam ser alvo de novas terapias.

Multitestes para triagem sorológica

Desenvolvido com recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e coordenado por Bio-Manguinhos (Fiocruz), o projeto busca desenvolver um kit diagnóstico multiteste para detecção da resposta imunológica à infecção por HIV-1, HIV-2, HTLV-1,HTLV-2, HBV, HCV, Treponema pallidum (bactéria causadora da sífilis) e Trypanosoma cruzi (parasito causador da doença de Chagas), utilizando a plataforma tecnológica de microarranjos líquidos. A perspectiva é que o produto leve cerca de duas horas para analisar até 92 amostras de doadores de sangue. O IBMP é corresponsável pelas etapas de padronização, customização e validação inicial do kit.

Kit para detecção de Coqueluche

Reemergente em todo o mundo, a coqueluche volta a chamar atenção da saúde pública. Atualmente, os testes disponíveis para detecção do DNA de Bordetela pertussis, bactéria causadora da doença, são importados e dependem de cadeia gelada para transporte e armazenamento. O IBMP desenvolve um teste de base molecular para detecção de B. pertussis utilizando insumos 100% nacionais produzidos pelo próprio Instituto e otimizados para permanecerem em temperaturas acima do congelamento, eliminando a necessidade da cadeia gelada de transporte e armazenamento.

PodiTrodi

Fruto de parceria do IBMP com instituições de pesquisa brasileiras europeias – sediadas em países como Alemanha, França, Portugal e Finlândia –, o projeto visa desenvolver uma plataforma tecnológica para diagnóstico de doenças tropicais no ponto de atendimento. A doença de Chagas foi selecionada como modelo para o desenvolvimento desta plataforma diagnóstica.



Vacina Recombinante para Brucelose

Zoonose de distribuição global, a brucelose gera prejuízos econômicos e sociais, em decorrência dos riscos que acarreta à saúde humana e do impacto que causa na produtividade dos rebanhos. Estima-se que a doença é responsável pela redução de 25% da produção de leite e de carne e pela redução de 15% da produção de bezerros. Diante deste quadro, o IBMP desenvolve uma vacina recombinante para brucelose, para expressão de um marcador diferencial que permita distinguir anticorpos de vacinação dos de infecção, bem como a construção de um teste de diagnóstico que permita discriminar anticorpos produzidos contra o marcador diferencial.

Cola de Fibrina Recombinante

A cola de fibrina é um selante biológico que reduz hemorragias em cirurgias cardiovasculares, hepáticas, ortopédicas e neurocirurgias. Não possui contraindicação ou risco de rejeição. Apesar de não substituir os pontos, atua como um complemento, vedando o corte e acelerando o processo de cicatrização. O projeto atende demanda do Ministério da Saúde para suprir as necessidades do mercado nacional e a previsão é que o produto esteja disponível até 2020.


Avaliação do Fator de Crescimento Epidérmico (EGF)

Nos últimos anos, o tratamento com inibidores do receptor EGF vem se mostrando eficaz em pacientes com câncer de pulmão. Definido a partir da necessidade do Ministério da Saúde em disponibilizar um kit nacional de alta sensibilidade para a quantificação deste receptor, o IBMP desenvolve projeto de pesquisa para avaliar os níveis de EGF em pacientes com adenocarcinoma de pulmão matriculados em instituições da Rede Nacional de Pesquisa Clínica em Câncer.


TOP