ANVISA

Em breve, o Instituto de Biologia Molecular submeterá o peticionamento de registro do produto à ANVISA.

Tracoma

O tracoma é a maior causa de cegueira passível de prevenção no mundo, sendo causada pela infeção do olho pela bactéria Chlamydia trachomatis. A doença está associada a falta de higiene e a pouca infraestrutura. Por definição, o tracoma só acomete pacientes sexualmente inativos, como crianças até 9 anos. Após esta idade, infecções por C. trachomatis são consideradas DST, mesmo que a infecção seja ocular, pois a bactéria também pode infectar o trato urogenital e ser transferida para os olhos. Atualmente, o diagnóstico é feito através de avaliação clínica ou por imunofluorescência direta, e ambos os métodos não têm a especificidade/sensibilidade necessárias.


O projeto, que se iniciou em dezembro de 2015, com a coleta das amostras na Ilha de Marajó (Pará) pelos pesquisadores do Instituto Evandro Chagas e com com o desenho de novos oligonucleotídeos no Instituto de Biologia Molecular, buscou desenvolver um método para detecção da bactéria Chlamydia trachomatis que fosse mais específico e sensível que os métodos atualmente disponíveis, e que fosse adequado à realidade brasileira.


Em 2019, o protótipo finalizado e utilizado como ferramenta auxiliar de diagnóstico pelo Inquérito Nacional do Tracoma, iniciativa capitaneada pela Coordenação de Hanseníase e Doenças em Eliminação (CGLAB/MS).

Saiba mais sobre

este produto

Entre em contato com a equipe do responsável pelo desenvolvimento do produto e seja um parceiro.

TOP