Desenvolvimento

Tecnológico

O Instituto de Biologia Molecular tem como missão institucional atender com excelência e prioridade as demandas por melhorias na Saúde e a gerar conhecimento e produção de insumos para atender prioritariamente ao SUS. O instituto desenvolve produtos que viabilizam diagnósticos de doenças socialmente e financeiramente onerosas para o sistema de saúde nacional. Isso é possível pela proximidade do Instituto com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) e outros centros nacionais e internacionais de pesquisa e desenvolvimento, agências de fomento e hospitais de referência.


Na atuação do IBMP, o desenvolvimento tecnológico busca dominar tecnologicamente áreas necessárias para obter produtos para diagnóstico in-vitro. Mais recentemente, o instituto passou a atuar na obtenção e aplicação de moléculas terapêuticas em áreas de doenças crônico-degenarativas, regeneração de tecidos e estética.

Destaques

Testes diagnóstico de imunoensaio

Testes diagnósticos que detectam a resposta imunológica, utilizando plataformas que permitam a entrega do resultado em menos de 20 minutos e facilitam o início imediato do tratamento, ou monitoramento de doenças infecciosas, como HIV, HBV, HCV, sífilis e Doença de Chagas, entre outras.

Testes diagnostico moleculares

A plataforma de PCR em tempo real serve de base para promover o desenvolvimento de diagnósticos de alta precisão e sensibilidade, detectando DNA ou RNA dos alvos selecionados. Esta plataforma é complementar à detecção da resposta imunológica, já que se adequa também como possibilidade para detecção de patógenos antes do hospedeiro ter anticorpos respondendo ao organismo patogênico.

Medicina personalizada

Área de desenvolvimento tecnológico que o IBMP atua e está relacionada a testes diagnósticos que utilizam características gênicas para o diagnóstico individualizado em pacientes e a determinação do tratamento adequado o mais rápido possível.

Soluções terapêuticas: Biomoléculas

O IBMP tem como um de seus objetivos, dominar a competência tecnológica na área de desenvolvimento de moléculas e processos utilizados para tratamento de doenças. Exemplos dessas moléculas são proteínas e anticorpos. Busca-se, através desta nova competência, diminuir o custo e aumentar a acessibilidade a diversas proteínas terapêuticas de suma importância para a saúde pública.

TOP