Fiocruz irá produzir 11 milhões de testes moleculares e produção permitirá estratégia de testagem massiva

por / Segunda-feira, 20 Abril 2020 / Categoria Acontece, Notícias

A Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz) irá produzir 11 milhões de testes moleculares para o Ministério da Saúde (MS) até o mês de setembro. O fornecimento de testes foi iniciado pela Fundação em 4 de março. O primeiro acordo teve como objetivo produzir 25 mil testes para Sars-CoV-2, com a finalidade de serem utilizados nos Centros Nacionais de Influenza (Instituto Oswaldo Cruz – IOC/Fiocruz, Instituto Adolfo Lutz e Instituto Evandro Chagas).

Ainda no mês de março, com o aumento do número de casos associados à pandemia no Brasil e no mundo, houve a necessidade de ampliar a produção e, até o dia 28, já haviam sido entregues cerca de 60 mil testes.

Após a recomendação de realização de testagem em massa pela Organização Mundial de Saúde (OMS), foi negociada uma produção adicional de 1 milhão de testes, com meta de 30 mil testes por dia. Um desafio importante associado a essa escalada foi ampliar a produção em curto espaço de tempo e em um cenário em que a cadeia internacional de logística apresentou limitações e houve aumento significativo da demanda global para aquisições e recebimento de insumos.

Com a expansão na capacidade produtiva, a Fiocruz passará de uma produção de cerca de 60 mil testes no mês de março para 1,2 milhão de testes em abril e 2,4 milhões em maio. De junho a setembro, serão produzidos 2 milhões de testes por mês, totalizando, desde o início do fornecimento, uma entrega de 11 milhões de testes moleculares ao Ministério da Saúde.

IBMP – Parte dos testes entregues pela Fiocruz está sendo produzida pelo Instituto de Biologia Molecular do Paraná (IBMP), vinculado à Instituição, em sua planta de produção em Curitiba (PR).

TOP