Teste Rápido para detectar antígeno da Covid-19 do IBMP recebe registro da Anvisa

por / Terça-feira, 04 Maio 2021 / Categoria Acontece, Notícias

O Instituto de Biologia Molecular do Paraná recebeu, no dia 26 de abril, da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), o registro de mais um produto: o Teste Rápido para Covid-19 Ag. O teste portátil detecta o antígeno do vírus Sars-CoV-2, por meio da coleta de amostra de secreção respiratória (nasofaringe) e apresenta o resultado em aproximadamente 15 minutos.

Com o diagnóstico rápido é possível que a pessoa receba o resultado no mesmo local da coleta, e se positivo, entre em isolamento imediatamente, contribuindo para diminuir a transmissão do vírus, inclusive se ela estiver assintomática.  O teste também pode e deve ser utilizado no rastreamento e isolamento dos contatos. “O IBMP vem atuando em diversas frentes nesta pandemia e o registro de mais este teste representa o nosso compromisso em oferecer produtos estratégicos e de qualidade”, afirma o diretor-presidente do IBMP, Pedro Ribeiro Barbosa.

Um diferencial deste teste rápido, se comparado ao teste RT-PCR tradicional, é a portabilidade, pois ele pode ser realizado em locais de triagem, sem a necessidade de equipamentos. Outra vantagem é o custo de produção e comercialização baixo, o que o torna ideal para o monitoramento e controle do contágio em larga escala.

Este é o primeiro teste rápido registrado pelo Instituto na Anvisa. “O IBMP pretende dominar as tecnologias e ter a gestão do conhecimento, permitindo o desenvolvimento de produtos e insumos biotecnológicos nacionais. Aumentando, ao longo do tempo e das entregas, a independência tecnológica de fornecedores internacionais”, explica o gerente de Desenvolvimento Tecnológico do IBMP, Fabricio K. Marchini.

Pesquisa – Até o registro na Anvisa, o teste rápido COVID Ag percorreu um longo caminho. A fase de pesquisa, que se iniciou em dezembro de 2020, foi realizada em parceria com o Instituto Carlos Chagas/ Fiocruz-PR e a Secretaria de Estado da Saúde, por meio do Complexo Hospitalar do Trabalhador.

A pesquisa clínica apontou uma confiabilidade de 93% se comparado ao exame RT-PCR, que é o método padrão ouro recomendado pela Organização Mundial de Saúde. Foram coletadas 500 amostras entre fevereiro e março de 2021 para a realização dos testes, e estas foram submetidas também ao teste PCR, para que os resultados fossem comparados e se comprovasse a eficácia do teste rápido.

Com o registro, o IBMP pretende produzir o teste rápido em larga escala, com o início da produção prevista para maio de 2021. Este é o sexto produto comercial do Instituto, que se soma aos Kits para diagnóstico molecular da Malária, Tracoma, Febre Amarela, Covid-19 e da Dengue, Zika e Chikungunya (o ZDC), todos registrados na Agência Reguladora.

TOP